Aldeia dos Mortos - Adriana Vieira Lomar

 Oi vocês,

Já faz um tempinho que eu recebi a obra Aldeia dos Mortos para leitura. Fiquei tentada quando descobri que o narrador é um feto e hoje venho contar para vocês o que eu achei da história.

Título: Aldeia dos Mortos
Autora: Adriana Vieira Lomar
Editora: Patuá
Páginas: 196
Sinopse: Aldeia dos mortos, de Adriana Vieira Lomar, chama a atenção pela originalidade. O protagonista é um feto que percebe tudo o que se passa fora da barriga da mãe, que participa da vida familiar e dos diferentes aspectos do universo físico e existencial ao seu redor. Um feto que anda na rua, segue os passos dos personagens, tenta interferir na história, apesar de não ter ainda nascido. Alguém que carrega em si um sentido real e metafórico e se propõe a uma missão difícil. Muitas vezes o feto é tratado como ele/ela, levantando a questão da identidade sexual que nos acompanha, de algum modo, desde que somos concebidos.


Eu acho que nunca tinha ouvido falar sobre uma história narrada por um personagem tão peculiar. Em Aldeia dos Mortos, conhecemos o enredo através de um feto sem gênero que conduz a trama de maneira envolvente e curiosa. Através dos sentimentos de sua mãe, o feto deseja alterar situações do passado para que ela não fique triste. Através de sonhos, ele – o feto – viaja no tempo e conhece a família e todos os seus dramas.

A obra possui capítulos curtos e que trazem duas formas de narrativas, a do passado, onde o feto é apenas uma luz, vamos dizer assim, que quase ninguém consegue enxergar, nessa fase, o protagonista conta todas as cenas, atitudes e motivos pelo os quais a família foi guiada até o momento que se encontra no futuro. O objetivo dele é modificar dois atos que deixou a mãe numa tristeza profunda. A segunda forma é o presente, onde nós vamos conhecer as sensações do protagonista ao ouvir a voz do pai, da mãe, das irmãs, os aromas que ele sente, as vontades, etc. Achei que dessa forma, a leitura se tornou tão dinâmica que me deixou muito mais envolvida na leitura. 

“A vida assim deve ser perfeita, sem vazios nem solidões.”

A escrita de Adriana é leve, sutil, traz elementos incríveis e ela brinca muito com o linguajar dos personagens. Durante a leitura, ficava curiosa para entender o passado, mas também estava louca querendo saber como estava no presente, como estava gravidez, o bebê e a mãe. Como nunca tinha lido algo com essa ótica, achei o livro curioso e inovador.


Queria deixar registrado todo meu ódio por Bernadete. Mesmo sabendo por todas as lutas que ela passou, não conseguia entender como uma criança pode ser tão má – mas o que ela fez no reformatório foi pouco ainda (fiquem curiosos mesmo, rs).

A capa faz todo o sentido com a ambientação do enredo, Matias é um gatinho incrível (como todos os outros que eu conheço e amo) e a cadeira tem tudo a ver, achei muito legal essa composição. As páginas são bem grossas e o espaçamento faz com que a leitura seja mais agradável. 

“Meu propósito sempre foi esse, e me surpreendi – pois, além do meu tio, encontrei uma família extensa.”

Eu confesso que não esperava tanto do livro, me surpreendi demais ao fazer a leitura. Espero conhecer os demais livros da autora. Leitura aconselhada. 

Lembrando que você pode adquirir um exemplar da obra através do seguinte link e ajudar o blog a se manter no ar. Muito obrigada Oasys Cultural por todo o apoio e carinho com o blog. 

Beijinhos,

19 comentários

  1. Oie! Que peculiar! Um feto narrando?! Olha, já me chamou completamente a atenção!
    Não conhecia a história, mas depois de sua resenha, fiquei extremamente curiosa sobre que fim vai dar isso tudo!
    Já vai para a minha listinha da Amazon!
    Adorei a resenha e obrigado pela dica!!

    ResponderExcluir
  2. Realmente uma história com um personagem muito peculiar, acho que se for bem trabalhado, dá mesmo uma história muito boa. Gostei dos seus comentários, parece ser algo que toca a gente, fiquei curiosa pra saber como isso vai se dar.
    Adorei o post, já coloquei na wishlist!

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Que história diferente! Já li histórias narradas por animais, mas nunca por um feto rs. Não sei se é meu estilo de livro, porém por curiosidade até leria hehehe.

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana.

    Estou conhecendo este livro através da sua resenha e achei a história interessante. Confesso que fiquei curiosa ainda mais sabendo pela sua opinião que a escrita de Adriana é leve e trouxe elementos incríveis. Já estou adicionando na lista de desejados.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ani.
    Com certeza essa história é bem original. Nunca vi uma história narrada por um feto! Rs... Por enquanto não é algo que eu queira ler, porque estou evitando histórias nesse estilo, mas vou anotar a dica para pensar melhor no futuro!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ani!
    Eu não conhecia o livro nem a autora, mas achei a capa bem chamativa. Ficaria curiosa com a história só por ela.
    Como você mesma comentou, a trama é bem original. Nunca ouvi sobre um enredo narrado por um feto, seja na literatura ou no cinema. Bem provável de eu ler somente por causa desse diferencial.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/08/resenha-agora-e-para-sempre-lara-jean.html

    ResponderExcluir
  7. Oiii flor!!
    Eu ainda não conhecia a autora nem essa obra mas já fiquei louca para conhecer. O livro parece ser bem no meu estilo de leitura, além da originalidade que também me chamou muito a atenção.

    Garotas Devorando Livros

    ResponderExcluir
  8. Oi. :)
    O enredo me parece muito interessante, algo bem diferente do que se vê em leituras. Achei sensacional!
    Adorei sua resenha e me deixou curiosa. Não conhecia a obra nem a autora, mas gostei muito.

    Beijos.
    Manuscrito de Cabeceira

    ResponderExcluir
  9. História bem curiosa, essa. Confesso que me atraiu e estou com vontade de ler para saber a visão desse feto em relação ao mundo. Anotada a dica.

    ResponderExcluir
  10. Oi Ani!
    Achei interessante a proposta da autora, ter uma perspectiva na visão de um feto, isso me deixou muito curiosa e ter uma expectativa diferente sobre a leitura. Estou curiosa sobre Bernadete, o que aconteceu para ela ir ao reformatório e o que ela fez lá. Obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  11. Que bom que o livro funcionou para você, confesso que não é meu estilo de leitura, porém gostei da proposta e fiquei curiosa!

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Que premissa mais interessante. Também nunca tinha lido algo assim tão diferente. Ainda mais alguém que nem veio ao mundo. O autor precisou usar de muita criatividade para desenvolver esse cenário e tocar tanto os leitores. Fiquei bem curiosa com sua indicação. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  13. Oiê,

    Que interessante um livro narrado por um feto e mais ainda a forma como ele foi desenvolvido, gostei bastante da dica!

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Primeira coisa que eu pensei foi "que bizarro esse narrador" e ao longo da resenha foi ficando interessante e curioso, quem é Bernardete e o que ela fez? Acho que esse livrinho peculiar vai precisar entrar na minha lista. Achei a dica bem interessante e diferente.

    Beijos
    https://leitura-terapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi oi querida,
    Adorei a resenha e como foi sincera descrevendo o enredo da obra. Não vou mentir, mas fiquei surpresa ao descobrir quem narra o livro. A capa é bonita, mas engana bastante se não lermos nenhuma resenha. Anotei a dica, e espero ler futuramente.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Realmente parece bem diferente ele, até porque é um narrado bem peculiar. Não conhecia o livro, mas por tudo que disse fiquei curiosa. Até mesmo pelos personagens que odiou. Irei conferir mais sobre a obra! Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro, mesmo assim achei bem interessante. O narrador-personagem é bem inusitado, isso me deixou bem curiosa. Vou anotar a dica!

    ResponderExcluir
  18. Olá! Que narração peculiar, nunca tinha escutado uma história assim antes e estou muito interessada na leitura. Infelizmente, não temos o poder de mudar as nossas experiências do passado, mesmo que elas sejam ruins e acredito que todas elas nos tornam que somos no presente.

    ResponderExcluir
  19. A capa já traz uma vibe bem sombria né? Que bom que você se surpreendeu positivamente com o livro e já quer ler tudo da autora. Antei a dica aqui pra conferir também.
    Beijos

    ResponderExcluir

Oi você, que bom que chegou até aqui, não esqueça de deixar um comentário.

- Criticas, duvidas, sugestões são sempre bem vindas!

Obrigada pela visita e volte sempre ;*

Contato: contato@entrechocolatesemusicas.com